Feeds:
Posts
Comentários

“Idéias morrem com o passar do tempo. Idéias, se não utilizadas, adormecem. Inspiração que me visita numa hora inexperada. Se minha mão esquerda fosse um papel, minha mão direita um lápis, cheia de idéias estaria eu então. Me visitam de madrugada, me visitam quando estou deitada. Com a leve chegada do sono, pensamentos e idéias voam e vagueiam em minha mente. Palavras e frases sintonizam-se num só jogo poético. Ah! Maldita inspiração que chega na hora errada. Por que não vem quando preciso e chamo por ti? Maldita inspiração! Se não tenho papel e um lápis na mão pra guardar você de recordação, então não venha mais em minha direção.”

EXTRA! EXTRA!

Saiu no jornal: Um Brasil Banal! Quando vejo os noticiários… tudo igual!

A violência aumentando, políticos cada vez mais roubando.

Policiais se vendendo, a fome crescendo.

Filhinhos de papai arranjando brigas nas ruas. Será quem agora é o marginal?

“-Qualquer coisa papai tem dinheiro, mamãe é advogada, me livra e tal…”

Brasil é cheio de belezas e riquezas naturais: praias poluídas, mulheres prostituídas. Lavagem de dinheiro virou moda, e propina agora é sucesso nacional!

A tendência mundial é a evolução. Estou vendo a evolução chegando, e com ela também os crimes avançando. Pedofilia é modalidade, é hobby. Desmoralização geral!

Sujeito agora que passar no vestibular tá ferrado! Leva chute, soco, fica todo esmurrado. É só um trote, brincadeira de jovem. Brincadeira de jovem? Brincadeira de jovem que já acabou em morte.

Brasileiro daqui uns dias tem que sair com roupa blindada pra não levar bala perdida.    Ter conta em banco tá ficando perigoso, “os malandro” atacam em bando, armam um plano todo jeitoso.

Quando ando na rua… Uou! Uma bala perdida! É do bandido ou da polícia? A história tá mudando, bandido e mocinho tão se misturando. Já não sei quem é quem. Socorro! Será que posso confiar em alguém?

Moro num país tropical, onde a impunidade é total! Se eu fizer merda, dou uma grana e fico legal!

Mulheres melancias, melões, morangos, uvas, pêras, jacas, são tratadas como frutas: compradas, mal comidas, chamadas de prostitutas.

A nossa fauna tão rica já tá sendo ameaçada. Os pobres dos bichos são tratados como nada. Tráfico de animais é crime, mas ninguém quer saber. Roubam, vendem pra ter o que comer.

A Amazônia coitada, já tá quase toda desmatada. A desflorestação é arte praticada. A preservação é palavra em extinção. O pulmão do mundo, precisando de transplantação.

Esse é o país que eu moro, país que nasci, que cresci… morri.

Jogos Virtuais

por Xulla Brazil 

Os jogos de vídeo games e computadores conquistaram um espaço importante na vida de crianças, jovens e adultos e hoje é um dos setores que mais cresce na indústria de mídia e entretenimento, diz a consultoria da PricewaterhouseCoopers (uma das maiores prestadoras de serviços profissionais do mundo). Atualmente, o espaço cibernético é bombardeado por inúmeros jogos, de todos os tipos, para todas as faixas etárias. O primeiro protótipo de jogo virtual foi criado em 1958 pelo físico Willy Higinbotham. Chamado “Tennis For Two”, esse game era usado por ele para chamar a atenção para o seu laboratório, Brookhaven National, em Nova York. Sua ideia realmente deu certo, o jogo era um simples simulador de tênis, que era mostrado em um osciloscópio (aparelho que serve para tornar visíveis as variações periódicas de uma corrente elétrica) e processado por um computador analógico, continha apenas dois pauzinhos que rebatiam uma bola, de um lado para o outro. A partir daí, desenvolvedores de consoles e jogos disputaram um espaço na indústria para venderem seus produtos e ganharem seguidores. Com amantes por todo o mundo, os jogos vieram para conquistar todas as faixas etárias, desde a pequena criança que consegue discernir as coisas até o adulto formado e independente. Seja para entreter ou educar, os jogos virtuais envolvem os usuários num ambiente totalmente diferente do que estão acostumados na vida real, e lá eles podem ser e fazer o quiser. A sensação de estarem inseridos em um mundo onde tudo é possível, onde podem ter super poderes, ultrapassar obstáculos, estimula a competição e desperta o desejo de vencer. Os games, ao contrário do que se pensa, não servem apenas para entreter. Eles despertam no indivíduo praticante o espírito de competitividade e o desejo pelo desafio, além de desenvolver a coordenação motora e o raciocínio lógico. Um trabalho realizado por três alunos do curso de Educação e Artes da Universidade do Vale do Paraíba (Univap) com adolescentes do Ensino Médio da rede Estadual de Educação da Paraíba indicou que praticantes de jogos virtuais, ao responder a testes lógicos, foram mais ágeis e obtiveram maiores notas. O resultado da pesquisa sugere que atividades em ambientes virtuais podem contribuir para o desenvolvimento lógico-matemático e o raciocínio. Os estudantes concluíram que os resultados podem ser praticados e levados à sala de aula, fazendo assim parte da metodologia de ensino e colocando a tecnologia a serviço da educação.

EDUCACAO Combinar diversão com educação é uma ótima forma de educar o aprendiz. Os jogos que exploram a aplicação de regras, a localização, a destreza, a rapidez, a força e a concentração auxiliam no desenvolvimento de habilidades funcionais. Os jogos que ajudam a desenvolver a confiança, a autonomia e a iniciativa propiciam a aquisição de condutas afetivas, diz a pedagoga Gilse Falkembach da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Em um dos trabalhos feitos por alunos da mesma faculdade, num estudo interessante sobre Novas Tecnologias na Educação em 2007, conclui que a aprendizagem com o uso dos jogos é visivelmente eficaz e as crianças preferem e aprendem mais quando há a inclusão do que é lúdico. Para atrair o aluno o jogo deve ser lúdico, ou seja, deve ensinar e divertir ao mesmo tempo incorporando a diversão para estimular a aprendizagem de conteúdos e habilidades por meio do entretenimento. Com isso mantém a atenção do aluno e desperta sua curiosidade para os conceitos a serem aprendidos, conclui o estudante Tiago Hopf. Especialistas orientam os educadores nessa nova e moderna metodologia, incentivando-os a usá-la. John Mcfarlane (Literature Review in Games and Learning. 2004) e Richard Van Eck (Digital Game-Based Learning: It. 2006) são exemplos de autores que desenvolveram trabalhos na área e suas obras inspiraram não só educadores como divulgadores do conhecimento. “Os jogos educacionais demonstram ter alta capacidade para divertir e entreter as pessoas ao mesmo tempo em que incentivam o aprendizado por meio de ambientes interativos e dinâmicos”, cita Hui-Chun Hsiao em seu livro A Brief Review of Digital Games and Learning. 2007. “Conseguem provocar o interesse e motivam estudantes com desafios, curiosidade, interação e fantasia” (Wilson Balasubramanian. Games and Simulations. In: Society For Information Technology and Teacher Education International Conference, 2006). Também existem sites infantis contendo jogos voltados para a educação, respeito ao meio ambiente e introdução às ciências, como o site da Discoverykids, Cambitolândia, Site de Games (VER BOX) e tantos outros. Eles oferecem jogos educativos, que divertem as crianças educando-as. Educar crianças com jogos é uma maneira de mantê-las motivadas e mais atentas ao que se está aprendendo. Jogos com a finalidade de educar podem e devem ser introduzidos nas escolas como parte da didática do educador. O uso desses jogos, seja em salas de aula ou na hora de educar, serve como aliado na hora de ensinar e motivar, diz a psicóloga pelo Centro Universitário de João Pessoa Juliana Tavares Maurício.

AS DOENÇAS E OS VÍCIOS Segundo o psicólogo Cristiano Nabuco do Hospital das Clínicas de SP, diz que jogos também podem viciar e chegar a levar seus usuários a consultórios médicos. Ele atende dependentes em internet e afirma que as redes de relacionamento, muitas dessas contendo joguinhos populares, são os grandes responsáveis pelo o crescente número de pacientes, chegando a ultrapassar os problemas com o sexo, que tantas vezes liderou o ranking nas redes. O uso indevido de tais jogos, porém, pode ser prejudicial. O jovem que passa horas em frente ao computador jogando pode desenvolver, muitas vezes, sérias e irreversíveis sequelas. Muita exposição ao monitor do computador pode causar dores de cabeça e musculares, tendinite graves danos à vista como uma simples vermelhidão dos olhos à síndrome da visão do computador, em inglês chamada CVS *(Computer Vision Syndrome). * Síndrome da visão do computador (CVS) é uma condição temporária resultante de focar o olhar em um monitor de computador por prolongado período ininterrupto de tempo. Alguns sintomas de CVS incluem dores de cabeça, turva a visão, dor no pescoço, fadiga, irritação e secura nos olhos e dificuldade de reorientar os olhos. FONTE: Wikipedia. Jogos que estimulam a violência são disputados por muitos jovens do sexo masculino na hora da escolha pelo usuário, esses mesmos jogos tornaram-se populares e adquiriram vários seguidores por todo o mundo. Jogos muito conhecidos como Counter Strike, Farmville viciam e não são usados de maneira a desenvolver melhor as habilidades da pessoa, servem mais para entreter. *Wanderley Wang, em seu trabalho de mestrado e também publicado no Site da Família sobre O aprendizado através de jogos para computador: por uma escola mais divertida e mais eficiente (2006) dá recomendações para conter os abusos e uso excessivo dos jovens em frente ao computador.

Recomendação para os pais:

• Estabeleça limites de uso. Tudo o que é demais é prejudicial. Pode-se restringir o uso do computador e jogos a dias e horários específicos. Lembre-se que os pais possuem autoridade (e dever) para isso. Estabeleça com os filhos acordos sobre o uso da Internet, inclusive sobre cuidados com a privacidade.

• Proporcione aos filhos outras oportunidades de lazer e de prática de esportes, com os pais e outras crianças. Incentive o hábito da leitura de livros.

• Participe das atividades com seus filhos. Não seja um “alienado digital”, e se inteire sobre os jogos que os filhos utilizam. Ajude-o a refletir sobre quais jogos são bons e quais não são. Selecione e proveja bons jogos.

• Utilize a tecnologia a seu favor, como, por exemplo, com o uso de filtros de conteúdo, que são programas que impedem o acesso a sites não recomendáveis para crianças.

* Trabalha com Tecnologia da Informação há mais de 25 anos, é formado em Licenciatura de Matemática pela USP, e é Mestre em Engenharia da Computação – Engenharia de Software pelo IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo). PARA

SABER MAIS: Jogos educacionais na educação infantil: http://jogoseducacionaisnaeducacaoinfantil.blogspot.com/2009/10/certezas-provisorias-os-jogos-virtuais.html

A importância dos jogos digitais no processo de ensino-aprendizagem:

http://tecnologiasdigitaisnaeducao.blogspot.com/

Jogos virtuais no ensino: usando a dengue como modelo: http://www.pg.cefetpr.br/ppgect/revista/2008/vol2/RBECT,V1,N2,2008,pp58-71.pdf

Estímulo ao raciocínio e à lógica por meio de jogos virtuais: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2009/anais/arquivos/RE_0478_0242_01.pdf

BOX JOGOS & SAÚDE Segundo Gustavo Sposnik, diretor da Stroke Outcomes Research Unit do Hospital de Saint Michael, em Toronto (Canadá) realizou um estudo feito nos Estados Unidos este ano mostrando que jogos virtuais podem servir também para ajudar na recuperação de vítimas de derrame. “É o primeiro estudo clínico aleatório que mostra que a realidade virtual utilizando o (videogame) Wii é confiável, segura e potencialmente eficaz na reabilitação da função motora após um AVC”, explicou Gustavo Sposnik, autor do estudo para a American Stroke Association. Em Israel, no Hospital Cheeba, em Tel Hashomer, o médico Josef Haik, cirurgião plástico e especialista em queimaduras da Faculdade de Medicina da Universidade de Tel Aviv emprega tratamento com jogos virtuais em seus pacientes vítimas de queimaduras, em especial as crianças. No tratamento de queimaduras, somente o tradicional uso de medicamentos para tratar as dores causadas pelas queimaduras muitas vezes não são suficientes. Neste trabalho foram usados jogos com o intuito de tirar o foco das crianças da dor e levá-las a um mundo virtual, aliviando mais seu desconforto perante as feridas.

Dicas para você usar corretamente o computador e não prejudicar sua saúde É importante que o usuário saiba das conseqüências geradas pelo o uso abusivo do computador. Por mais que seja prazeroso o tempo gasto jogando no mundo virtual, e independente do tipo de jogo ou atividade exercida por esses mesmo usuários, alguns cuidados devem ser tomados:

• Alongue-se antes de começar a trabalhar no computador por um longo período;

• O monitor deve ficar 10 a 20 graus abaixo do nível dos olhos;

• A distância entre a tela do monitor e os olhos deve ser de 60 cm;

• O monitor não deve ficar de frente para a janela, pois a luminosidade causa ofuscamento, nem de costas porque forma sombras e reflexos que usam desconforto;

• Evite excesso de luminosidade das lâmpadas e luz natural, pois as pupilas se contraem e geram cansaço visual;

• Regule sempre a tela com o máximo de contraste e não de luminosidade;

• Mantenha a tela do monitor sempre limpa;

• A cada hora, descanse de 5 a 10 minutos, saindo de frente do computador;

• Lembre-se de piscar voluntariamente quando estiver usando o micro;

FONTE: www.infowester.com

Sites recomendados para que as crianças aprendam se divertindo: As crianças estão cada vez mais espertas, aprendendo cada vez mais rápido, algumas superam as expectativas dos pais, outras superam a capacidade de seus genitores no que diz respeito às novas tecnologias. Navegar pela internet, sozinho, pode não ser uma boa ideia, proibir também não é a solução, porém regular e indicar sites interessantes onde a criança possa interagir e desenvolver suas capacidades motoras e de quebra aprender sobre o meio em que se vive, aprender a cuidar desse meio e o mais legal de tudo, de forma infalível, que ela não se desgastará, pelo contrário, aprenderá brincando. Experimente alguns desses sites:

Discovery Kids: http://www.discoverykids.com.br

Cambitolândia: http://www.cambito.com.br

Site de games educativos: http://www.sitedegames.com/educatvos/

Games no site do UOL: http://www2.uol.com.br/ecokids/jogos.htm

Assisti a esse filme neste final de semana. Primeiro o que me chamou atenção foi o título, depois a capa. Então li que ele recebeu o oscar de melhor filme estrangeiro. Levei para casa e fui me familiarizando aos poucos com o áudio espanhol e a legenda tão veloz.

É uma linda história de amor com um riquíssimo enredo que te prende (quase) do início ao fim. Os primeiros minutos achei o filme um pouco chato, mas com o desenrolar da história você vai ficando preso ao roteiro, te instigando a permanecer frente a TV até o fim para ver o desfecho do drama.

Os argentinos estão de parabéns! Foi merecido o prêmio.

Sinopse: 

Benjamin Esposito (Ricardo Darín) se aposentou recentemente do cargo de oficial de justiça de um tribunal penal. Com bastante tempo livre, ele agora se dedica a escrever um livro. Benjamin usa sua experiência para contar uma história trágica, a qual foi testemunha em 1974. Na época o Departamento de Justiça onde trabalhava foi designado para investigar o estupro e consequente assassinato de uma bela jovem. É desta forma que Benjamin conhece Ricardo Morales (Pablo Rago), marido da falecida, a quem promete ajudar a encontrar o culpado. Para tanto ele conta com a ajuda de Pablo Sandoval (Guillermo Francella), seu grande amigo, e com Irene Menéndez Hastings (Soledad Villamil), sua chefe imediata, por quem nutre uma paixão secreta.

Talento a la mexicana

Seu nome é Julieta Venegas. Nasceu no México, e é portadora de um admirável talento: canta MPB, digamos, a la mexicana.

 Já foi vista cantando com Marisa Monte la canción Ilusión.

Escutá-la é como escutar uma mistura dessas vozes de cantoras brasileiras de MPB cantando em espanhol. Sua voz é cativante e doce, lembrando a voz de uma ninã.

Nomeada em várias categorias ao Grammy, ganhou na categoria de Melhor Álbum de Música Alternativa e também o prêmio latino Revelação da Academia de Música da Espanha.

Essa mexicana com essa voz caliente promete muito mais.

“O escritor precisa de quase tanta coragem como o guerreiro; um não deve preocupar-se mais com os jornalistas do que o outro com o hospital.” Stendhal

Homenagem

Pelos seus pequenos passos me apaixonei

O seu movimento desajeitado me conquistou

Seu olhar inocente e distante me contagiou

 O minuto em que te conheci foi certeiro

Senti-la em meus braços me fez querer protegê-la

Falamos línguas diferentes, porém nossas almas se entendem

Momentos de gargalhada, de impaciência, de irritação

Com você cada momento é único, é especial

Entre as minhas pernas você se sente segura

Em minhas mãos você se acaricia e brinca

Deixa marcas de horas divertidas, característico de sua idade

Seu charme imaturo cativa quem por ti passa

Sua energia me põe a cair no chão

Quando choras quero correr para abraçá-la

Quando distante de ti ponho-me a pensar de preocupação

Ansiedade de te ver

Saber como estás

Garantir que estejas bem e feliz

 

Minha companheira, minha criança

Minha cachorra Luna

A punição sem educação – Por: Wilmar Marçal

Em outras épocas, quando educar era construir cidadania, a falha, o erro e as atitudes erradas, especialmente numa criança, eram corrigidas com a punição da palmada.

O tempo passou, a população aumentou e os costumes mudaram. E como mudaram! Porém, cada pai e cada mãe sabem muito bem educar seus filhos.

O estado não precisa interferir, exceto em situações onde as crianças correm riscos. Mas isso são outros quinhentos, como diziam nossos queridos antepassados.

O foco atualmente é debater outra situação, muito comum nas cidades hoje em dia, sobretudo nas grandes cidades, como é, por exemplo, o caso de Curitiba e região metropolitana.

É preciso discutir e encontrar melhores soluções para uma situação muitas vezes injusta: a indústria das multas de transito. O que se percebe nos dias atuais é uma voraz intenção premeditada de punir, punir e punir. Porém punir com a força da arrecadação.

Há centenas de radares na capital paranaense com o propósito evidente de arrecadar. Isso mesmo: arrecadar. Nada de educativo. Os “entendidos” em sistema viário só enxergam os ponteiros das cifras. Não são capazes de aceitar que há situações de risco, onde muitas vezes se acelera para fugir de perigos e assaltos. Não propagam campanhas educativas em localidades vulneráveis. Não divulgam ações que possam envolver as comunidades em mutirões de aprendizado. Só querem as faturas pagas e o dinheiro em caixa.

Os “especialistas” do transito, muitas vezes com canetas pesadas, mas nenhuma experiência técnica, só elaboram as planilhas das previsões de arrecadação. Nada de prevenção. Esquecem ou fingem que não sabem que a cidade cresceu, o número de veículos muito mais ainda e que a geometria das ruas e avenidas são as mesmas. É um fluxo exagerado em locais estáticos. Não há milagres.

Faltam consciência e paciência de nossos gestores. Acham que punir com multas vai melhorar a educação no transito. Ora, ledo engano. O próprio nome já diz: educação significa educar com ação.

Enquanto tivermos as intenções obscuras das vultosas quantias nos cofres, originadas pelas incontáveis multas, sobretudo em épocas de eleições, não teremos sucesso em melhorias.

Se ainda persistir essa demanda maldita de recolher, vamos reagir e também formar um mutirão do esclarecimento. Vamos recolher também. Recolher informações tais como: para onde vai todo esse dinheiro originado das multas? É bem possível que uma auditoria séria nas arrecadações e circunstancias que as mesmas são elaboradas possam responder a essa e tantas outras perguntas e dúvidas.

A população deve se unir sim, cobrar dos representantes o destino dessa sangrenta e contundente mania de punir pelo bolso. Educação e bom-senso são fundamentais e nós gostamos. Honestidade com o dinheiro público, mais ainda.

* Wilmar Marçal é professor universitário e ex-reitor da UEL./Pr. wilmar_pr2010@hotmail.com